'Que Tal Nós Dois?' com Carolina Ferraz e Otavio Martins prorroga temporada no Teatro Folha

23 abril 2018 |



Peça mostra relacionamento de dois amantes que se encontram uma vez por ano na Convenção da empresa onde trabalham

Devido ao sucesso, a comédia romântica “Que Tal Nós Dois?”, com Carolina Ferraz e Otavio Martins, prorroga temporada no Teatro Folha. Durante os meses de maio e junho as sessões acontecerão somente às sextas-feiras, 21h30, e aos sábados, às 20h.

A receptividade calorosa do público, que sempre fica um pouco mais no teatro para um bate-papo com os atores após as sessões, e o reconhecimento da crítica especializada motivou a prorrogação da temporada. “Os meses de maio e junho serão bastante movimentados para toda a produção porque faremos sessões às sextas-feiras e aos sábados no Teatro Folha e também várias apresentações aos domingos em outras cidades da Região Metropolitana”, conta o diretor Isser Korik. Em julho a montagem volta a ocupar a pauta de sexta-feira a domingo no Teatro Folha e depois segue em turnê por capitais de Norte a Sul do País.

O texto foi escrito numa parceria entre os autores Juliana Araripe e Otávio Martins. A história do casal se desenvolve ano após ano, sempre mostrando os reencontros nas convenções da empresa e as mudanças na vida de cada um, o que reflete no relacionamento deles. Um homem e uma mulher, ambos casados e com família,  funcionários de uma grande empresa, se conhecem numa convenção. Embalados pelo clima de confraternização, e depois de beberem alguns drinks, acabam passando a noite juntos. No dia seguinte acordam juntos em quarto de hotel e, sem nenhuma intimidade, decidem não mais repetir o encontro amoroso. Mas como ninguém manda no coração, no ano seguinte, novamente na convenção da empresa, eles se reencontram e passam a noite novamente, estabelecendo um relacionamento.

O ator e autor Otavio Martins conta que o texto mostra a evolução da relação, que começa com o constrangimento de duas pessoas que acordam juntas sem lembrar exatamente os detalhes da noite vivida. No segundo ano em que as personagens se encontram os conflitos pessoais são revelados. Questões relacionadas ao poder surgem no terceiro ano porque, na medida em que ela passa a assumir um cargo de liderança na empresa, abala o lado machista dele. O desfecho da história de amor acontece no quarto ano, quando algo inesperado acontece com o casal.

O diretor Isser Korik aposta que os atores conquistam a empatia do público porque se entregam aos estímulos criativos da direção e ao mesmo tempo se permitem brincar em cena. “Esta disponibilidade dos atores faz toda a diferença na cena, que é um verdadeiro jogo entre Otavio e Carolina”, diz o diretor que é bastante familiarizado com o gênero comédia, em quase 30 anos de carreira.

SOBRE A ATRIZ CAROLINA FERRAZ
Estreou como atriz na novela “Pantanal”, da TV Manchete, e não parou mais. Nos primeiros anos de carreira atuou em “Escrava Anastácia”, “A História de Ana Raio e Zé Trovão” e “Floradas na Serra”. Na TV Globo, foi apresentadora do Fantástico e depois atuou nas novelas, “O Mapa da Mina”, “Pátria Minha”, “Tropicaliente”, “História de Amor”, “Por Amor”,  “Beleza Pura”, “Avenida Brasil”, entre outros trabalhos marcantes para o público.

No cinema fez “Alma Corsária”, de  Carlos Reichenbach; “Mater Dei”, de  Vinicius Mainardi; “Amores Possíveis”, de  Sandra Werneck; ”Crô – O Filme”, de Bruno Barreto; “A Glória e a Graça” e ”O Passageiro – Segredos de Adulto”, ambos de Flávio Ramos Tambellini.

Atuou nas peças “Honra”, com direção de Celso Nunes;  “Selvagem como o Vento”, de Denise Stoklos;  “O Rim”, dirigida por Elias Andreato;  “Amores, Perdas e meus Vestidos”, com direção de Alexandre Reinecke; e “Três Dias de Chuva”, montagem dirigida por Jô Soares.

A atriz apresentou no canal GNT cinco temporadas de seu programa “Receitas da Carolina”, um sucesso entre o público interessado em gastronomia. Também lançou o livro “Na Cozinha com Carolina” e se prepara para lançar brevemente “Na Cozinha com Carolina 2”.

SOBRE O AUTOR E ATOR OTAVIO MARTINS
Ator, diretor, dramaturgo e roteirista. 
Com extensa e importante carreira no teatro, Otávio atuou, assinou direção e criou a dramaturgia de diversas montagens.
Entre os destaques, estão a comédia “Divórcio!” (2013), com Suzy Rêgo e José Rubens Chachá, e “A Bala na Agulha” (2014), com Denise del Vecchio, ambas como diretor; “Caros Ouvintes”, que dirigiu e escreveu, recebendo as premiações de melhor espetáculo e melhor direção no Prêmio Arte Qualidade Brasil de 2014; e o drama “Três Dias de Chuva” (2013), peça dirigida por Jô Soares, em que Martins atuou ao lado de Carolina Ferraz. 
Foi convidado por Paulo Autran para contracenar na peça “Vestir o Pai (2003)” e levou como melhor ator os prêmios Shell de Teatro (por “A Noite Antes da Floresta”, de 2006), e Contigo! de Teatro (por "Side Man", de 2011).
Voltou a trabalhar com Jô em “Tróilo e Créssida” (2016), adaptação da tragédia de William Shakespeare. É autor de “Pressa”, que em 2018 esteve em cartaz no teatro Glaucio Gill, no Rio de Janeiro.
Na televisão, atuou nas séries “Mothern”, do canal pago GNT, e “PSI”, da HBO e em novelas da Rede Globo, como “Amor Eterno Amor”, “Além do Horizonte” e “Tapas e Beijos”. Também trabalhou atrás das câmeras, colaborando com Walcyr Carrasco no folhetim “Êta Mundo Bom”. Já dirigiu o programa “#PartiuShopping”, do Multishow, com Tom Cavalcante e grande elenco. Em 2018, estreia a série “Toda Forma de Amor”, de Bruno Barreto, no Canal Brasil.
Otávio participou de filmes como “Malu de Bicicleta”, de Flávio Tambelini, “Salve Geral”, de Sérgio Resende, “Blindness”, de Fernando Meirelles, e “Meu Mundo em Perigo”, de José Eduardo Belmonte. Em 2018, interpreta o Ministro Francisco Bittencourt, vilão em “Nada a Perder”, cinebiografia autorizada do bispo evangélico Edir Macedo, dirigida por Alexandre Avancini.
SOBRE O DIRETOR ISSER KORIK
Diretor, ator, produtor, tradutor e dramaturgo, Isser Korik coleciona trabalhos marcantes como comediante em quase 30 anos de carreira, como  “Vacalhau & Binho”, de Zé Fidélis, que permaneceu oito anos em cartaz; “O Dia que Raptaram o Papa”, de João Bethencourt; e, recentemente, “E  o Vento não Levou”, de Ron Hutchinson, e “Toda Donzela Tem um Pai que é uma Fera”, de Gláucio Gill. Como diretor se destaca na comédia.

Concebeu “Nunca se Sábado...”, apresentado por quatro temporadas sob sua direção-geral, que marcou a cena paulistana.
Dirigiu o sucesso “A Minha Primeira Vez”, de Ken Davenport; a trilogia cômica de Alan Ayckbourn “Enquanto Isso...”; “O Mala”, de Larry Shue; o projeto “Te Amo, São Paulo”, que reuniu grandes nomes da dramaturgia paulista; além dos infantis “A Pequena Sereia”, de Fábio Brandi Torres; “Grandes Pequeninos”, de Jair Oliveira; “Cinderela”, “O Grande Inimigo” e “Ele é Fogo!”, de sua autoria, tendo recebido por esse último o Prêmio APCA. Recentemente dirigiu os sucessos “Jogo Aberto”, de Jeff Gould; e “O Empréstimo”, de Jordi Galceran.

É diretor artístico da produtora Conteúdo Teatral e do Teatro Folha.

FICHA TÉCNICA
Dramaturgia - Otavio Martins e Juliana Araripe
Elenco - Carolina Ferraz e Otavio Martins
Participação especial em áudio - André Gonçalves, Danielle Winits e Regina Duarte
Cenografia  - Paula de Paoli
Cenotécnico - Wagner José de Almeida
Figurinos  - Carolina Ferraz
Trilha sonora composta - Ricardo Severo
Assessoria de Imprensa - Claudio Marinho
Criação Gráfica - Winnie Affonso
Fotografia  de cartaz - Gustavo Arraes
Fotografia de cena - Edson Kumasaka
Equipe Técnica - Jardim Cabine
Coordenação de Produção - Isabel Gomez
Assistente de Produção - Pedro Pó
Administração - Isabel Gomez  e Pedro Pó
Iluminação e Direção  - Isser Korik                  
Realização - Conteúdo Teatral e  RDP Cultural


“QUE TAL NÓS DOIS?”
Temporada: 04 de maio a 30 de junho de 2018
Apresentações: sexta-feira, 21h30; sábado, 20h
Ingresso:  R$50 (setor 2) e R$70 (setor 1)

*Valores referentes aos ingressos inteiros na plateia e mezanino. Meia-entrada disponível em todas as sessões de acordo com a legislação.

Duração: 80 minutos
Classificação etária: 12 anos

TEATRO FOLHA

Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site: www.teatrofolha.com.br

Vendas por telefone e internet/ Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto / 50% de desconto para funcionários e clientes do Cartão Renner. Horário de funcionamento da bilheteria: quarta e quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 21h30; sábado, das 12h às 23h59; e domingo, das 12h às 20h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3104-4885, (11) 3101-8589, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, CSN, Privalia, Owens-Illinois, LUPO, Grupo Pro Security, Andritz, Consigaz, EMS e Bain & Company.

SOBRE A CONTEÚDO TEATRAL

O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de quinze anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística de Isser Korik e direção comercial de Léo Steinbruch, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, A Pequena Sereia”, Grandes Pequeninos”,  “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.

Foto: Edson Kumasaka



Senhoras e senhores, adultos, crianças e famintos de plantão, preparem-se para dar boas risadas com o divertido espetáculo “Sanduba Delivery”!!!! Nesta peça, o palhaço Sanduba chega com sua bicicleta acrobática para fazer os pedidos e as entregas de sua lanchonete. No cardápio, dez números circenses divididos em entrada, prato principal, sobremesa e cafezinho. O público é convidado para fazer o pedido e assim formar a cada dia um cardápio e um espetáculo diferente, com muito malabarismo, mágica e acrobacias.

Dirigido por Helena Figueira, o espetáculo foi apresentado em diversas cidades, entre elas Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Santos, Campinas, Rio Preto e Piracicaba. Sucesso por onde passa, “Sanduba Delivery” impressiona pela capacidade técnica e talento do intérprete Duba Becker, que encerra o espetáculo oferecendo uma performance surpreendente, apelidada de “Cafezinho”, com o artista equilibrando uma barraca de feira no queixo.

Malabarista, acrobata e palhaço, Duba Becker já se apresentou em diversos países, entre eles Alemanha (31a European Juggling Convention) e Argentina (La décima primeira e La décima segunda convention de malabaris, circo y espectáculos callejeros). Realizou temporada de seus números no Circo Gaia, em espaços voltados para a arte, como o “Sarau do Charles” e “Palco Aberto do lll ECM”, e em diversos Festivais de Circo e Espetáculos de Rua. Representou o Brasil na Fit Argentina, 2007, BTL Lisboa 2006, Fitur Madrid, 2006. Também foi convidado pelo Ministério do Turismo e Embratur para representar a arte circense brasileira em Lisboa, Madrid e Argentina.

É integrante da Cia Suno desde 2003, e participa dos seguintes espetáculos: “O Cientista e a Lua”, “Chafurda”, “De Partida”, “A Bailarina e o Palhaço"; "Estripulias no Circo", “Ensaio Sob a Chuva”, “Cabaré de Bolso” e "Despautérios.".

FICHA TÉCNICA
Roteiro e Direção: Helena Figueira
Elenco: Duba Becker
Figurinos: Maria Eugênia Ramos
Preparação acrobática: Jullius – Riccieri Pastori
Cenografia: Cia Suno
Sonoplastia: Marcos Diglio

Duração: 50 minutos
Indicação: Livre

Onde: Biblioteca Afonso Schmidt - Av. Elísio Teixeira Leite, 1470 - Vila Cruz das Almas
Quando: 26/04 - 14h

Onde: Biblioteca Pedro Nava - Rua Helena do Sacramento, 1000 - Mandaqui
Quando: 03/05 - 14h

Onde: Biblioteca Brito Broca - Av. Mutinga, 1425 - Vila Pirituba
Quando: 05/05 – 11h

Onde: Biblioteca Belmonte - Rua Paulo Eiró, 525 - Santo Amaro
Quando: 08/05 – 14h30

Onde: Biblioteca Viriato Corrêa - Rua Sena Madureira, 298 - Vila Mariana
Quando: 10/05 – 15h

Onde: Biblioteca Raimundo de Menezes - Av. Nordestina, 780 - Vila Americana
Quando: 16/05 – 14h30

Onde: Biblioteca José Paulo Paes - Largo do Rosário, 20 - Penha de Franca
Quando: 17/05 – 15h

Onde: Biblioteca Arnaldo Magalhães Giácomo ­- Rua Restinga, 136 - Tatuapé, São Paulo
Quando: 18/05 – 13h30

Onde: Biblioteca José Mauro de Vasconcelos - Praça Comandante Eduardo de Oliveira, 100 - Parque Edu Chaves
Quando: 23/05 – 14h30

Onde: Biblioteca Jamil Almansur Haddad - Rua Andes, 491-A Guaianazes
Quando: 01/06 – 14h

Onde: Biblioteca Cora Coralina - Rua Otelo Augusto Ribeiro, 113 - Guaianazes
Quando: 05/06 – 14h30

Onde: Biblioteca Milton Santos - Avenida Aricanduva, 5777 - Vila Aricanduva
Quando: 07/06 – 14h30

Onde: Biblioteca Nuto Sant’anna - Praça Tenório de Águiar, 32 - Santana
Quando: 10/06 – 11h

Onde: Biblioteca Érico Veríssimo - Rua Diógenes Dourado, 110 - Taipas
Quando: 13/06 – 14h

Onde: Biblioteca Castro Alves - Rua Abrahão Mussa, s/n - Jardim Patente
Quando: 15/06 – 15h

Onde: Biblioteca Padre José de Anchieta - Rua Antônio Maia, 651 - Perus
Quando: 17/06 – 11h

Onde: Biblioteca Gilberto Freyre - Parque Luis Mucciolo - Sapopemba
Quando: 20/06 – 14h

Onde: Biblioteca Hans Christian Andersen - Av. Celso Garcia, 4142 - Tatuapé
Quando: 24/06 – 11h

Onde: Biblioteca Monteiro Lobato - Rua General Jardim, 485 - Vila Buarque
Quando: 30/06 – 11h

Foto: Beatriz Ramires



Comédia de Alessandro Marson e Thereza Falcão brinca com a evolução do ser humano e com os conflitos dos relacionamentos amorosos

Na comédia romântica “A Invenção do Amor”, com Guilherme Piva e Maria Clara Gueiros, dirigida por Marcelo Valle, o público acompanha a relação amorosa de um Homo Sapiens com uma Mulher de Neandertal. Ele, dotado de um cérebro privilegiado, vive às voltas com mil e uma invenções e, numa crise de ciúmes, resolve inventar o amor. Sua nova invenção faz com que o casal pré-histórico se antecipe no tempo, vivendo situações que marido e mulher só enfrentariam anos, décadas ou milênios mais tarde. Apresentada pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros, a temporada acontece de 05 de maio a 1º de julho no Teatro Folha, com duas sessões aos sábados, às 22h e 23h59; e duas aos domingos, às 18h e 20h.

O público acompanha a evolução do amor na história da humanidade, entrando em contato com situações que se repetem nos relacionamentos, independentemente da época. Croc (Guilherme Piva) e Nhaca (Maria Clara Gueiros) vivenciam o que há de mais cômico e dramático nas relações afetivas, um universo do qual nenhum espectador escapa.

Segundo o diretor Marcelo Valle, “entender como o amor foi inventado não é uma tarefa das mais fáceis… Mas, o que propomos com A Invenção do Amor é simples: fragmentamos a evolução de nossos padrões de comportamento para mostrar esse amor que se reinventa, sempre igual, mas sempre diferente. Imaginar qual teria sido o primeiro de todos os casais, para enxergar em todos os outros um pouquinho deles. Ou para enxergar nele um pouquinho de todos os outros. Quem sabe não conseguimos entender assim A Invenção do Amor?”

A dramaturgia da peça inédita de Alessandro Marson e Thereza Falcão se constrói através da ótica do conflito masculino/feminino, numa linguagem crítica e muito bem humorada,  com situações que o público imediatamente se identifica. O maior trunfo do texto é falar de um assunto comum e imprescindível na vida de todos nós: o amor.

A trama

No início, o casal de protagonistas vive confortavelmente em sua caverna, na batalha diária pela sobrevivência do mundo selvagem, até que Nhaca, interrompendo uma caçada de mamutes, conta a Croc que está esperando filhote. Ele, um neurótico homem das cavernas, percebe que não quer correr o risco de criar o filhote de outro homem e, na intenção de preservar a sua prole, resolve inventar o amor, com todas as suas condições limitadoras de relacionamento, inclusive a monogamia feminina. Até que Nhaca começa a questionar a monogamia masculina.

Na próxima cena somos transportados para o castelo de Rei Salomão que, entre esposas e concubinas, tem a sua disposição 1000 mulheres. Nhaca entra em cena como a esposa 462 e prova a Croc que o antigo Rei não tem condições, nem física nem mental, de manter tantas mulheres em seu harém.

De volta à idade da pedra, Croc inventa que precisa ir para a guerra e Nhaca, agora mãe de 9 filhotes, dona de casa e bastante insatisfeita, resolve fechar a porta da caverna e fazer greve de sexo, tal qual Lisístrata faria dali a alguns séculos. A partir daí, nosso protagonista terá que provar que merece conseguir entrar novamente na caverna da esposa.

Com muitas idas e vindas na linha do tempo, o casal vive experiências do vários tipos de amor vistos ao longo de nossa história: o amor idealizado dos príncipes e princesas dos contos de fadas,  o amor juvenil, o amor medieval e proibido de Romeu e Julieta; a libertinagem e o amor romântico; o feminismo e a castidade; até inventarem a separação e a questão da guarda dos filhotes. Mas, com tudo, o amor persiste e eles finalmente chegam ao divã para discutir com Dr Freud Flintstone as condições que cercam o homem e a mulher: a fidelidade e a traição, o amor e o sexo, a verdade e a mentira, o desejo e o ciúme.

Sinopse

Comédia romântica que acompanha a relação amorosa de um Homo Sapiens com uma Mulher de Neandertal. Para evitar que ela se relacione com outros machos ele resolve inventar o amor fazendo com que o casal pré-histórico viva situações que marido e mulher só enfrentariam anos, décadas ou milênios mais tarde.

SOBRE O DIRETOR MARCELO VALLE

É ator, diretor e produtor de teatro. Membro da Cia. dos Atores há 28 anos, Marcelo integrou o elenco da grande maioria dos espetáculos: Melodrama, Notícias Cariocas, O Rei da Vela, A Bao A Qu, A Morta, Cobaias de Satã, Só Eles o Sabem, Laboratorial, etc.  Fora de sua Cia, entre outras, atuou em Memória da Água, Roberto Zucco, Memorial do Convento, Divã - onde foi indicado para o Prêmio Shell de melhor ator (2005), A História de Nós 2, Como é Cruel Viver Assim - indicado para o Prêmio Cesgranrio de melhor ator (2014), Um Certo Van Gogh e A Reunificação das Duas Coreias, com os diretores Felipe Hirsh, Moacyr Chaves, Christiane Jatahy, Ernesto Piccolo, Guilherme Piva e João Fonseca, respectivamente. Em cinema, participou de Os Desafinados, Xangô de Backer Street, Meu Passado me Condena 1 e 2, Madame Satã, Sem Controle e Tropa de Elite. Na Rede Globo pôde ser visto nas novelas Celebridade, Paraíso Tropical, Viver a Vida e Insensato Coração. No Multishow integrou o elenco do seriado de humor Meu Passado me Condena, 1ª e 2ª temporadas. Marcelo atuou como produtor em A Bao A Qu, A Morta, João e o Pé de Feijão, Branca Como a Neve, Cobaias de Satã, O Rei da Vela, Os Vermes, A História de Nós 2, Como é Cruel Viver Assim e Laboratorial. Seu curriculum de diretor traz os infantis João e o Pé-de-Feijão e Branca Como a Neve, ambas produções da Cia dos Atores, assim como o adulto Os Vermes; fora de sua companhia de teatro, Marcelo dirigiu Inventário, Giz e Terra Papagalli.

SOBRE O ATOR GUILHERME PIVA

Formado em artes cênicas, tem carreira pautada principalmente pelo teatro e pela TV, atuando como ator e diretor. Como ator, destacam-se entre seus trabalhos: De Verdade, direção de Marcio Abreu, A Farsa da Boa Preguiça, direção de João das Neves, A Falecida, direção de João Fonseca; Aurora da Minha Vida, texto e direção de Naum Alves de Souza; O Crime do Dr. Alvarenga, texto e direção Mauro Rasi; A Luz da Lua, direção Ítalo Rossi; O Submarino, de Miguel Falabella e Maria Carmen Barbosa e dir. Mauro Mendonça Filho; Arlequim, Servidor de Dois Patrões, direção Luiz Arthur Nunes e Carícias, direção de Christiane Jatahy. Na TV participou de mais de dez novelas e especiais, sendo dirigido por Walter Avancini, Marcos Paulo, Jorge Fernando, Ricardo Wadingtton, Denis Carvalho, Luiz Henrique Rios entre outros. No cinema seus principais trabalhos foram Madame Satã de Karin Ainouz, Paraíso aqui vou Eu de Walter Daguerre e Cavi Borges e Não se preocupe, Nada vai dar Certo de Hugo Carvana. Foi indicado a vários prêmios em teatro e TV tendo sido agraciado como revelação no “Qualidade Brasil”, Melhor Ator no Máster Brasil, Melhor Ator coadjuvante no Mambembe, entre outros. Seus mais recentes trabalhos foram a novela Lado a Lado que ganhou o Emmy na TV Globo, e a peça teatral “Não Vamos Pagar”, com direção de Inez Viana. Recentemente  atuou na novela “Novo Mundo” dos mesmos autores de “A Invenção do Amor” com direção de Vinicius Coimbra.

SOBRE A ATRIZ MARIA CLARA GUEIROS

Atriz desde 1987 com mais de 30 espetáculos no currículo, 4 longas metragens, além de 15 trabalhos entre programas de TV e novelas. Ficou nacionalmente conhecida quando sua personagem Laura, do programa humorístico Zorra Total lançou o bordão Vem cá, te conheço? Na TV Globo participou ainda dos seriados A Grande Família e Divertics (2013); S.O.S Emergência (2010); Minha Nada Mole Vida (2006) e A Diarista (2004) e das novelas Mulheres Apaixonadas (2003); Beleza Pura (2008); Caras e Bocas (2009); Insensato Coração (2011), Lado a Lado (2012) e Babilônia (2015).

No cinema, atuou em Um Show de Verão (2004); Xuxa Gêmeas (2006), Os Porralokinhas (2007), Sexo com Amor? (2008), Muita Calma Nessa Hora 1 e 2 (2010/2014), O Diário de Tati (2012), O Atelier (2014) e Os Saltimbancos Trapalhões (2016), Festa da Firma (2016).

No teatro, atuou na peça Esse Cara Não Existe (2003), Corações Encaixotados, em 2007. E, 2010, ao lado de Edwin Luisi, estrelou o espetáculo de comédia Tango Bolero e Cha Cha Cha. Foi dirigida por Ernesto Piccolo na peça Os Difamantes, e participou dos musicais As Bruxas de Eastwick e O Mágico de Oz, produções da dupla Charles Möeller e Claudio Botelho. Atualmente está no ar nos programas Zorra na TV Globo, Nova Escolinha do Professor Raimundo, no Canal Viva e na série TOCs de Dalila, no Multishow.

SOBRE O AUTOR ALESSANDRO MARSON

Formado em jornalismo com especialização em dramaturgia. Iniciou sua carreira na TV Cultura, como autor dos programas infantis Cocoricó e X Tudo. Trabalhou em programas de diversas emissoras e produtoras. Na TV Globo há quinze anos, integrou a equipe de autores de programas para crianças e jovens, como Sítio do Picapau Amarelo e Malhação e também de programas humorísticos como Sob Nova Direção e Casos e Acasos.

Há dez anos atua como colaborador de telenovelas e esteve na equipe das seguintes produções: O Profeta, Desejo Proibido, Cama de Gato, Araguaia, Cordel Encantado, Avenida Brasil, Flor do Caribe, Joia Rara, escrevendo em parceria com os maiores autores de televisão do país. Recentemente integrou a equipe de colaboradores de João Emanuel Carneiro, na novela das 21h, A Regra do Jogo.

Em cinema, colaborou no roteiro do longa-metragem Sexo com Amor, dirigido por Wolf Maya (2008) e é autor do roteiro do longa-metragem Apaixonados, de Paulo Fontenelle. Em teatro atuou, escreveu e dirigiu uma série de espetáculos. É autor, juntamente com Mario Viana, de Carro de Paulista, que ficou em cartaz por mais de dez anos em São Paulo. Também é autor do texto Malvadas, tudo sobre Sharon, Sheila e Shirley, peça que já foi montada em diversas cidades do Brasil e também em Portugal.

Ao lado de Thereza Falcão, escreveu a novela Novo Mundo, grande sucesso da TV Globo recentemente no horário das 18h.

SOBRE A AUTORA THEREZA FALCÃO

É escritora, autora, diretora teatral e roteirista de tv. Iniciou sua formação na Faculdade de Teatro da UNIRIO e em cursos do Teatro Tablado. Foi diretora, por 5 anos, do espaço cultural Casa de Ensaio, no Rio de Janeiro, onde dirigiu seus primeiros espetáculos, com textos de August Strindberg (Simum) e Agatha Christie (O Caso dos Dez Negrinhos). Escreveu e dirigiu peças infantis como A Arca de Noé, Misssão Super Secreta e A História de Topetudo. Por este último, recebeu o Prêmio Coca-Cola de melhor texto e melhor espetáculo de 1997.

Desde 2001 é roteirista da Rede Globo, onde já escreveu para vários programas, como o humorístico TOMA LÁ DÁ CÁ, além de colaborar nas telenovelas O Profeta, Cama de Gato, Cordel Encantado, Avenida Brasil, Joia Rara e A Regra do Jogo.

Adaptou para o teatro o livro de Moacyr Scliar A mulher que escreveu a Bíblia e mais recentemente o livro de Marguerite Youcenar, Memórias de Adriano. E escreveu ao lado de Julio Fischer Emilinha e Marlene, as rainhas do rádio, musical que ganhou a cena em 2011, sob a direção de Antonio De Bonis.

Ao lado de Alessandro Marson, escreveu a novela Novo Mundo, grande sucesso da TV Globo recentemente no horário das 18h.


CIRCUITO CULTURAL BRADESCO SEGUROS

Manter uma política de incentivo à cultura é compromisso permanente do Circuito Cultural Bradesco Seguros. Nos últimos anos, o Grupo Bradesco Seguros orgulha-se de ter patrocinado e apoiado projetos nas áreas de música, dança, artes plásticas, teatro, literatura e exposições, além de outras manifestações artísticas.

Dentre as atrações realizadas recentemente, destacam-se os musicais “Ghost, O Musical”, “Chacrinha, O Musical”, “Elis - A Musical”, “A Família Addams”, “O Rei Leão”,  “Bem Sertanejo”, “Les Misérables”, “60 – Década de Arromba”, “Cinderella” e “Wicked”, além da “Série Dell'Arte Concertos Internacionais”, “Ballet Zorba, O Grego” e a exposição “Cavaletes de Cristal de Lina Bo Bardi no MASP”.

SOBRE O GRUPO BRADESCO SEGUROS

O Grupo Bradesco Seguros, conglomerado segurador da Organização Bradesco, lidera o mercado de seguros brasileiro, com atuação em âmbito nacional nos segmentos de Seguros, Capitalização e Previdência Complementar Aberta. No primeiro semestre de 2016, o Grupo Segurador registrou faturamento de R$ 32,4 bilhões – evolução de 6,9% sobre igual período de 2015. Há cerca de uma década, o Grupo Bradesco Seguros vem sustentando crescimento médio anual na casa de dois dígitos, mantendo market share em torno de 25%. Seu volume de provisões técnicas atingiu R$ 190,6 bilhões em junho de 2016.

FICHA TÉCNICA
Texto: Alessandro Marson e Thereza Falcão
Direção:  Marcelo Valle
Elenco:  Maria Clara Gueiros e Guilherme Piva
Cenografia: Aurora dos Campos
Figurinos: Marcelo Olinto
Direção musical: Marcelo Alonso Neves
Iluminação: Renato Machado
Direção de movimento: Marcia Rubin
Visagismo: Othon Spenner
Pesquisa: Carla Siqueira
Programação visual: Leandro das Neves
Produção audiovisual: Eduardo Chamon e Leandro das Neves
Mídias sociais: André Mizarela
Fotografia: Lucio Luna e Renato Mangolin

Adereços de figurino e de cabeça: Othon Spenner
Adereços de cenário: Tuca
Assistente de direção: Daniel Belmonte
Assistente de cenografia: Carolina Sugahara
Assistente de figurino: Rodrigo Reinoso
Cenotécnico: André Salles
Pintura de arte: Naira Santana
Costura cênica: Nice Tramontim

Direção de produção: Cristiana Lara Resende
Captação de apoios: Gheu Tiberio
Assistência de produção: Bruno Fagotti
Gestão do projeto: Renata Leite – Rinoceronte Entretenimento
Assistente financeiro: Angelica Neves – Rinoceronte Entretenimento

Produzido por: Guilherme Piva, Marcelo Valle e Maria Clara Gueiros
Patrocínio: Bradesco Seguros
Realização: Os Invencíveis Produções Artísticas Ltda

SERVIÇO: A INVENÇÃO DO AMOR
Estreia: 05 de maio de 2018
Temporada: 1º de julho de 2018
Apresentações:  sábado, às 22h e 23h59; e domingo, às 18h e 20h
Ingresso: R$50,00 (setor 2) e R$70,00 (setor 1)

Duração: 75 minutos
Classificação etária:  12 anos


TEATRO FOLHA

Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site: www.teatrofolha.com.br

Vendas por telefone e internet/ Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto / 50% de desconto para funcionários e clientes do Cartão Renner. Horário de funcionamento da bilheteria: quarta e quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 21h30; sábado, das 12h às 23h59; e domingo, das 12h às 20h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3104-4885, (11) 3101-8589, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, CSN, Owens-Illinois, LUPO, Grupo Pro Security, Andritz, Consigaz, EMS e Bain & Company.

SOBRE A CONTEÚDO TEATRAL

O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de quinze anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística de Isser Korik e direção comercial de Léo Steinbruch, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, A Pequena Sereia”, Grandes Pequeninos”,  “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.

Foto: Lucio Luna